All posts by Luis Riley

Como conseguir um desconto maior no IPVA?

O pagamento do IPVA já deve estar agendando na vida dos proprietários de veículos. Mas como é um dos impostos mais caros a serem pagos durante o ano pode-se pensar em algumas formas de deixar o tributo mais suave. Como seria? Com descontos e algumas medidas. Saiba mais!

Pagamento do IPVA pode ser parcelado

Assim que o Detran envia o boleto ele já pensa nas chances de receber a arrecadação. Infelizmente o valor não é dos mais em conta a ser pago todos os anos e quanto mais novo o veículo mais caro o imposto. Em primeiro momento já é enviado o boleto para quitação à vista e em parcelas de até seis vezes. 

Todo mundo recebe o IPVA parcelado já com todos os boletos juntos. Caso perca o documento é só entrar no sistema do Detran de sua cidade e realizar o pagamento sem problemas. O importante é se manter no prazo para renovação do documento do veículo e andar regularizado nas ruas. 

Mas parcelado ou não o imposto não pode deixar de ser pago. Sem a quitação do débito o proprietário não recebe o novo documento do veículo e não está autorizado a transitar com ele. Em uma fiscalização pode rolar apreensão do veículo e multa gravíssima. 

Caso já esteja em atraso deve-se procurar o Detran ou Secretaria da Fazenda de sua cidade. A negociação é feita pessoalmente apenas com o proprietário ou com terceiros mediante uma procuração. O pagamento deve ser feito em até dois dias ou uma nova negociação deve ser realizada para novo boleto ser emitido. Uma vez vencido deve-se negociar de novo.

Dá para conseguir desconto no IPVA?

O primeiro desconto possível do IPVA já é enviado automaticamente pelo sistema. O valor sofre um abatimento de 10% para pagamento integral. Quem paga parcelado não possui o desconto. Mas há outras formas de conseguir um valor mais baixo no imposto veicular? Sim, são elas:

Desconto no IPVA atrasado – muitos estados como o IPVA 2018 SP adotaram desconto na multa por atraso para incentivar o pagamento. Isso incentiva ao devedor quitar seus débitos. Em São Paulo o desconto pode chegar a mais de 75%. 

Para deficientes – deficientes físicos ou mentais ou portadores de doenças degenerativas possuem na verdade isenção e não desconto. Eles não pagam o imposto desde que possam comprovar a sua condição por meio de documentos e laudo médico oficial. A solicitação da isenção é realizada no Detran ou Secretaria da Fazenda de sua cidade.

Motoristas sem multas – No Pará e em alguns outros estados os motoristas sem multa podem conseguir um desconto de até 10%. Para isso não devem cometer uma infração de qualquer tipo no ano anterior.

É um desconto conhecido como Bom Motorista e vale no Amazonas, Pará, Rio Grande do Sul e deve seguir para outros Estados. A ideia é incentivar também um trânsito seguro nas grandes cidades dando benefícios a mais para quem segue a lei. 

No mais infelizmente é apenas pagando em dia para obter desconto no IPVA.

FONTE

4 Livros de literatura que podem te ajudar no vestibular

O vestibular é uma das provas mais importantes do aluno do ensino médio. Fecha um ciclo de estudos e coloca à prova três anos de conhecimento em sala de aula. Na avaliação alguns livros quando se trata da prova de literatura podem ajudar. Confira a seguir. 

Dicas de livros de literatura para ajudar no vestibular

Literatura é uma disciplina importante em vestibulares e a leitura de grandes clássicos é crucial por diversos pontos. Um deles é que os professores adoram citar grandes obras como referência para questões, com trechos bem complexos. Conhecer os livros pode ser de grande ajuda. 

Outro ponto a ser levado em consideração é a linguagem utilizada. A leitura dos livros obrigatórios ajuda o aluno a familiarizar-se com a norma culta da língua portuguesa, auxiliando também no desenvolvimento da redação de provas e concursos. Mas o que ler?

Quatro dicas de livros de literatura podem ajudar muito o candidato como:

Dom Casmurro, de Machado de Assis

Um dos autores mais conhecidos do Brasil, Machado de Assis é indicado em diversos países. A obra é narrada em primeira pessoa e mesmo sendo escrita em 1989 inspirou diversos novelistas brasileiros. Afinal, Dom Casmurro é aquele livro que pelo menos um vez na vida, temos que ler!

A trama romântica é simples de compreender. Bentinho é um jovem apaixonado desde a infância por Capitu. A vida do casal nunca foi tão perfeita até o melhor amigo de ambos, Escobar, ser um personagem frequente em sua casa. Esposa e amigo parecem ser bons amigos, mas não há algo a mais? Durante todo o livro convivemos com as dúvidas de Bentinho sempre com medo de ser traído e no final, nunca houve afirmação de uma traição. 

Vidas secas, de Graciliano Ramos

Uma das obras mais fortes sobre a vida no sertão nordestino traz o drama de uma família de retirantes fugindo da seca. A narração é forte com termos regionais, ajudando o aluno a se familiarizar com literatura realista com lançamento em 1938.

O núcleo familiar era formado por Fabiano, um vaqueiro acostumado com a vida dura no sertão. Há ainda o menino mais novo, o menino mais velho, a mãe Sinhá Vitória (uma eterna sonhadora), a cadela Baleia e um papagaio. A ave foi morta porque não sabia cantar e era o alimento da necessidade. 

Há muitas críticas positivas sobre a obra como sendo base de leitura de um vestibulando. Uma delas é a carência de diálogo de seus personagens, refletindo a ausência de instrução de seu meio e aceitação de sua condição por não haver alternativa. 

O cortiço, de Aluísio Azevedo

Lançado em 1980, é um retrato real dos cortiços do final do século 19. Esta ocupação muito comum nas grandes cidades da época é retrata com extremo realismo das ações dos personagens, que apesar de ‘cuspe no chão’ e ‘odor de urina’ eles ainda conseguem viver com alegria.

A obra foca em uma realidade muito comum hoje em dia: a ascensão social da classe baixa. João Romão é um dono de um cortiço e uma empreiteira e sonha em ser um classe média alta e reconhecido nos meios sociais. Mas sabe que seu meio verdadeiro e suas origens o atrapalham, assim como sua convivência com as pessoas do cortiço. 

A Hora da Estrela, de Clarice Lispector

Lançado em 1977, o livro conta a estória de uma jovem do interior migrando para a cidade grande. Macabéa é uma jovem com muitos sonhos mas com uma realidade bem triste. Na grande cidade do Rio de Janeiro lida com a solidão, com o preconceito e ainda com a ditadura militar muito forte.

Qual a diferença entre bacharelado e licenciatura?

Ao ter diploma de um curso superior alguns cursos possuem duas variantes: bacharelado ou licenciatura. Os dois possuem em média a mesma duração e alguns permitem ter os dois tipos de certificação, mas são diferenças. Entenda a diferença para escolher melhor seu curso de graduação. 

Entendendo o bacharelado

O bacharelado é o grau acadêmico básico de quem faz um curso superior de graduação. Todo profissional que deseja atuar na sua área de forma profissional e única é um bacharel. 

No Brasil o pré requisito para ser bacharel é que seu curso de graduação seja focado na capacitação profissional e não no ensino. Ele possui duração variável sendo alguns com três anos e outros com um pouco mais. Medicina e Direito, por exemplo, possui duração de 12 semestres (6 anos) enquanto Jornalismo apenas 8 semestres (4 anos). 

Para se tornar bacharel em uma área é obrigatório ter diploma de nível superior. O título é antigo e provém desde os tempos de Brasil Colônia, quando os bacharéis em Direito eram considerados pessoas importantes na sociedade. Hoje é comum e o termo é pouco usado.

Entendendo a licenciatura

Licenciatura é o tipo de formação profissional em que se deseja ensinar em sala de aula. Seria a formação de profissional da área de educação para ensinar jovens e adultos do ensino de base. 

Um curso com licenciatura trabalha disciplinas diferenciadas dentro de sua grade curricular. Pedagogia e psicologia são as mais necessárias para lidar com alunos em uma sala de aula. Também há muitas outras focadas apenas em lecionar, sem contar com o estágio obrigatório em sala de aula (seja ele remunerado ou não).

O mais importante a saber sobre licenciatura é que formado com este tipo de curso é possível ensinar apenas ao ensino de base, fundamental e médio. Para ser professor universitário é obrigatório ter ao menos especialização, sendo exigido na maior parte das universidades mestrado ou doutorado.

Bacharelado e licenciatura em um mesmo curso

No momento de entrar na faculdade é preciso decidir entre bacharelado ou licenciatura em alguns cursos. O que muda? Essencialmente o foco da carreira. 

Um graduado em história, por exemplo, pode se tornar um pesquisador da área, um estudioso mas não pode dar aulas. Existem várias formas de exercer a profissão sem ser em sala de aula. Já o formado em licenciatura pode atuar como professor e também pesquisar.

Algumas faculdades permitem ao estudante optar pelos dois em um mesmo curso sem a necessidade do vestibular mais uma vez. O aluno pode entrar no ensino superior e cursar uma graduação para se tornar bacharel e com mais dois anos, por exemplo, se formar em licenciatura. 

Este tipo de estudo é permitido nas universidades federais brasileiras e algumas do exterior. Cumprindo a carga horária e estendendo os estudos um pouco mais o universitário terá o diploma com as duas modalidades. Neste caso ele poderá tanto pesquisar e desenvolver projetos como lecionar para o ensino de base.

Para ser professor universitário, como dissemos antes, é preciso ter especialização ou mestrado. Em algumas universidades apenas doutorado.