4 Livros de literatura que podem te ajudar no vestibular

O vestibular é uma das provas mais importantes do aluno do ensino médio. Fecha um ciclo de estudos e coloca à prova três anos de conhecimento em sala de aula. Na avaliação alguns livros quando se trata da prova de literatura podem ajudar. Confira a seguir. 

Dicas de livros de literatura para ajudar no vestibular

Literatura é uma disciplina importante em vestibulares e a leitura de grandes clássicos é crucial por diversos pontos. Um deles é que os professores adoram citar grandes obras como referência para questões, com trechos bem complexos. Conhecer os livros pode ser de grande ajuda. 

Outro ponto a ser levado em consideração é a linguagem utilizada. A leitura dos livros obrigatórios ajuda o aluno a familiarizar-se com a norma culta da língua portuguesa, auxiliando também no desenvolvimento da redação de provas e concursos. Mas o que ler?

Quatro dicas de livros de literatura podem ajudar muito o candidato como:

Dom Casmurro, de Machado de Assis

Um dos autores mais conhecidos do Brasil, Machado de Assis é indicado em diversos países. A obra é narrada em primeira pessoa e mesmo sendo escrita em 1989 inspirou diversos novelistas brasileiros. Afinal, Dom Casmurro é aquele livro que pelo menos um vez na vida, temos que ler!

A trama romântica é simples de compreender. Bentinho é um jovem apaixonado desde a infância por Capitu. A vida do casal nunca foi tão perfeita até o melhor amigo de ambos, Escobar, ser um personagem frequente em sua casa. Esposa e amigo parecem ser bons amigos, mas não há algo a mais? Durante todo o livro convivemos com as dúvidas de Bentinho sempre com medo de ser traído e no final, nunca houve afirmação de uma traição. 

Vidas secas, de Graciliano Ramos

Uma das obras mais fortes sobre a vida no sertão nordestino traz o drama de uma família de retirantes fugindo da seca. A narração é forte com termos regionais, ajudando o aluno a se familiarizar com literatura realista com lançamento em 1938.

O núcleo familiar era formado por Fabiano, um vaqueiro acostumado com a vida dura no sertão. Há ainda o menino mais novo, o menino mais velho, a mãe Sinhá Vitória (uma eterna sonhadora), a cadela Baleia e um papagaio. A ave foi morta porque não sabia cantar e era o alimento da necessidade. 

Há muitas críticas positivas sobre a obra como sendo base de leitura de um vestibulando. Uma delas é a carência de diálogo de seus personagens, refletindo a ausência de instrução de seu meio e aceitação de sua condição por não haver alternativa. 

O cortiço, de Aluísio Azevedo

Lançado em 1980, é um retrato real dos cortiços do final do século 19. Esta ocupação muito comum nas grandes cidades da época é retrata com extremo realismo das ações dos personagens, que apesar de ‘cuspe no chão’ e ‘odor de urina’ eles ainda conseguem viver com alegria.

A obra foca em uma realidade muito comum hoje em dia: a ascensão social da classe baixa. João Romão é um dono de um cortiço e uma empreiteira e sonha em ser um classe média alta e reconhecido nos meios sociais. Mas sabe que seu meio verdadeiro e suas origens o atrapalham, assim como sua convivência com as pessoas do cortiço. 

A Hora da Estrela, de Clarice Lispector

Lançado em 1977, o livro conta a estória de uma jovem do interior migrando para a cidade grande. Macabéa é uma jovem com muitos sonhos mas com uma realidade bem triste. Na grande cidade do Rio de Janeiro lida com a solidão, com o preconceito e ainda com a ditadura militar muito forte.